A Revista Ecumênica da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo
Ecumenismo, Espiritualidade e Evangelho-Apocalipse

banner-compra-revista

Que cidadão se quer formar?

Sirlene Pessoa, pedagoga — atualizado em 04/09/2017

 

Sirlene Pessoa

Sirlene Pessoa

A cada início de ano letivo, é o momento de os educadores observarem os alunos e criarem uma visão de futuro: como queremos que eles sejam mais adiante, como profissionais e pais de família? Com certeza, queremos prepará-los para a vida, como cidadãos! Mas que tipo de cidadão e que espécie de vida?

É claro que não é um cidadão e uma vida quaisquer! Queremos um cidadão íntegro, autêntico e solidário, que saiba equilibrar a sua vida para que seja próspera, alegre, plena de Fé e Espiritualidade Ecumênica! Para atingir tais objetivos, é preciso reconhecer que devemos estimular e oferecer condições necessárias para o desenvolvimento dos valores morais, éticos e espirituais dos alunos.

Apresentamos aqui sete pontos inspirados nos princípios da Pedagogia do Cidadão Ecumênico (PCE), preconizada por Paiva Netto, com o objetivo de contribuir para a prática educacional:

  1. A escola, por mais moderna que seja, nunca será melhor que a soma dos seres humanos que formam sua equipe, pois, antes de tudo, todos são seres espirituais.
  2. Como seres espirituais, a PCE recomenda o que já é sucesso na rede de ensino da Legião da Boa Vontade: o hábito da prece diária e da meditação em grupo, atitudes estas que estimulam a vontade renovada e espontânea de agir eticamente, fortalecendo o Espírito e equilibrando o interior do indivíduo.
  3. Leia e incentive os alunos à leitura de bons livros, ação que proporciona um ambiente melhor e mais produtivo.
  4. Avalie-se, constantemente, reeducando seus pensamentos, palavras e ações. Contribua para manter o ambiente em alto-astral, mesmo nos momentos de dificuldades.
  5. Observe as diferenças e ritmos de aprendizagem de seus alunos, lembrando que cada um traz uma história de vida diferente e carrega em sua bagagem conhecimentos e vivências diferenciados. Por isso, saiba ouvir suas preocupações e ansiedades, transmitindo-lhes calma, segurança e equilíbrio. Lembre-se de que aprendem muito mais pelo exemplo.
  6. A aprendizagem ocorre quando há mudança de comportamento, e este se transforma quando o conteúdo é significativo para a vida do educando. Esta observação permite a reavaliação de sua didática, de forma que atenda à diversidade escolar.
  7. Reflita sobre estas palavras de Paiva Netto: “Aqui se estuda. Formam-se Cérebro e Coração”.