A Revista Ecumênica da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo
Ecumenismo, Espiritualidade e Evangelho-Apocalipse

banner-compra-revista

Centro Espiritual Universalista, o CEU da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, completa 48 anos

Paula Ribeiro — 26/09/2017

 

Na Assembleia Magna Extraordinária de 5 de outubro de 1969, no Rio de Janeiro, RJ, o saudoso Irmão Alziro Zarur (1914-1979) fez a Proclamação do Centro Espiritual Universalista (CEU)*1, que surgiu “para realizar, à luz do Novo Mandamento do Cristo, a Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, a Unificação Harmonizada das Quatro Revelações Divinas*2.

O CEU da Religião Divina demonstra que a mediunidade não está restrita a determinados seguimentos religiosos, mas é anterior a todos eles, tendo registro desde os tempos remotos da Humanidade. Ela é uma Lei Divina que preexiste ao próprio planeta, pois a origem do ser humano é espiritual. Assim, o intercâmbio entre as Duas Humanidades é algo natural, sendo importante a educação da mediunidade para que as pessoas possam desenvolvê-lo de forma consciente, mantendo a sintonia de pensamentos, palavras e ações com o Mundo Espiritual Elevado.

 

Proclamação-do-CEU-face

No segundo volume das Diretrizes Espirituais da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, o Presidente-Pregador da Religião do Terceiro Milênio, José de Paiva Netto, destaca que os seres humanos “são todos médiuns, mas, se não forem médiuns evangelizados e iluminados pela vivência do Novo Mandamento do Cristo — ‘Amai-vos uns aos outros como Eu vos amei. Somente assim podereis ser reconhecidos como meus discípulos, se tiverdes o mesmo Amor uns pelos outros’ (Evangelho de Jesus, segundo João, 13:34 e 35) —, que é Lei de Amor, nada mais poderão ser do que instrumentos do mal”.

Para ensinar os seres humanos a estabelecerem, da melhor forma, essa sintonia Céu e Terra, o Irmão Alziro Zarur definiu “Cinco Lições Práticas do Centro Espiritual Universalista”, que visam ao desenvolvimento das potencialidades espirituais de cada um. São elas:

1) O Silêncio

2) Fé Raciocinante

3) Iniciação à Verdade de Deus

4) O Pensamento e o Destino

5) A Liderança Espiritual

Início dos trabalhos práticos do CEU

Paiva Netto deu início aos trabalhos práticos do Centro Espiritual Universalista da Religião do Novo Mandamento a 6 de janeiro de 1992 — data em que se comemorava o 44o aniversário da Ordem Espiritual para criar a Legião da Boa Vontade*3. Na ocasião, ele formou o primeiro grupo de Mediunidade Direta, a partir do qual começaram as manifestações dos Irmãos Espirituais por meio de psicografia, psicofonia e efeitos físicos. Esses abnegados Irmãos, sob a coordenação do Dr. Bezerra de Menezes (Espírito), dedicam-se a auxiliar os seres da Terra a vencerem seus desafios pessoais e coletivos. E para que suas contribuições possam chegar a cada vez mais pessoas, em todo o mundo, Paiva Netto coloca a Super Rede Boa Vontade de Comunicação (rádio, TV, internet e publicações) à disposição desses Militantes do Espaço. Dr. Bezerra de Menezes, dr. André Luiz, Emmanuel, Flexa Dourada, Meimei, dr. Osmar Carvalho e Silva, Nair Torres e Yvonne do Amaral Pereira estão entre os numerosos ativistas da Dimensão Espiritual engajados nessa união consciente da Humanidade da Terra com a do Céu.

Todas as Igrejas Ecumênicas da Religião do Amor Universal possuem equipes do Centro Espiritual Universalista, formadas por Cristãos do Novo Mandamento de Jesus voluntários que, com a devida preparação, colocam-se como instrumentos da Espiritualidade Superior e auxiliam na condução das cerimônias que ocorrem durante as Cruzadas do Novo Mandamento de Jesus, a exemplo da Imposição das Mãos e da Fluidificação das Águas.

 

 

*1 Centro Espiritual Universalista da Religião do Terceiro Milênio (CEU) — Para saber mais, consulte os três volumes das Diretrizes Espirituais da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, do escritor Paiva Netto. Em especial, o segundo volume, onde constam as Cinco Lições Práticas de CEU, de autoria de Alziro Zarur.

*2 Quatro Revelações Divinas — A Primeira é a que Jesus confiou a Moisés, a Lei de Deus nos Dez Mandamentos, conforme se encontra no Velho Testamento da Bíblia Sagrada; a Segunda é a de Jesus, o Cristianismo, trazida pessoalmente por Ele em Sua primeira vinda visível à Terra; a Terceira é a dos Espíritos, cujos instrumentos pioneiros, no século 19, foram Kardec e Roustaing; a Quarta e última deste ciclo é a de Deus, do Cristo e dos Espíritos — a do Novo Mandamento, unificando todas as Revelações por meio do Apocalipse, que também é do Cristo, por intermédio de João Evangelista.

*3 Ordem Espiritual para criar a Legião da Boa Vontade — Em 6 de janeiro de 1948, Dia dos Reis Magos, data de alto significado místico-religioso, ao participar de uma reunião na Federação Espírita Brasileira (FEB), na capital fluminense, a convite dos amigos Werneck Genofre e Agostinho Pereira de Souza, Alziro Zarur recebeu a ordem espiritual de criar a LBV, por meio da respeitável e saudosa médium dona Emília Ribeiro de Mello. Essa senhora de cabelos brancos olhou insistente e piedosamente para o visitante e, ao término da reunião, aproximou-se dele e disse-lhe, com emoção: “Meu Irmão, São Francisco de Assis esteve todo o tempo aí ao seu lado e manda dizer-lhe que é hora de começar”.